Tag Archives: birmingham

#brum: website & videos

These last few days have been dedicated to the development of my MA project, that i’m doing with some other colleagues. The idea has evolved quite fast and it has room for changes. The goal is to have a hyperlocal website dedicated to feature stories that relate closely to Birmingham communities.  The name is #Brum.

I’ve built the website, and i’ve been experimenting with video. These are the first examples of the work i’ve started last Wednesday. The video above is more recent, and it was shot with a DV cam, and it’s a investigative report headed by Andrew Brightwell about the swimming pools in the city. He is, in fact, going to swim in all of them and we’ll try to put together a multimedia package. More video will come out of this, and you can see more here.

The second video is too long and shaky, but it’s an interesting guided tour of the “Bodies Revealed” exhibition. I went with Caroline Beavon, and we had this great conversation with the curator of the show. It was shot with a Flip camera, that is really great to use, but technically limited.

I’d like to hear your opinion not only about the videos but also about the project. Bear in mind that this is still at the beginning and is going through major changes and corrections.

Estes últimos dias foram dedicados ao desenvolvimento do meu projecto de mestrado, que estou a fazer com alguns colegas. A ideia evoluiu bastante depressa e ainda pode mudar. O objectivo é criar um site hiperlocal dedicado a reportagens que se relacionem de perto com as comunidades de Birmingham. O nome é #Brum.

Construí o website, e tenho andado a fazer experiências com video. Estes são os primeiros exemplos do trabalho que comecei na última quarta feira. O video acima é o mais recente, e foi filmado com uma câmara DV, e é uma investigação feita pelo Andrew Brightwell sobre as piscinas da cidade. Aliás, ele vai mesmo nadar em todas elas, e vamos tentar criar um pacote multimédia para esta história. Vão haver mais vídeos deste trabalho, e podem ver outros aqui.

O segundo vídeo é muito longo e tremido, mas é uma visita guiada muito interessante à exposição “Bodies Revealed” Fui com a Caroline Beavon, e tivemos esta excelente conversa com o responsável da exposição. Foi filmado com uma Flip, que é muito agradável de se usar, mas limitada tecnicamente.

Gostava de ter a vossa opinião não só sobre os videos mas também sobre o projecto. Tenham em conta que ainda está mesmo no princípio, e que ainda serão feitas alterações e correcções.

#MAOnlineJournalism: week 4 on #MoJo with @alisongow and @timesjoanna

%CODE1%

This week has been really busy (again, and it looks it will only get worse, but this is what i signed up for). Tuesday i spent the afternoon listening to the 4iP plans for the future, Wednesday the day was dedicated to the Hello Digital conference, and yesterday some of us came to London for the ethics debate at Reuters “What price the news?”. I’ll be posting about all this during the next days.

In between we had some classes too, and this week’s Online Journalism module was about Mobile Journalism. We were joined by Alison Gow, executive digital director for the Liverpool Daily Post, and Joanna Geary, of The Times. We had a terrific conversation, and it was good to finally put a face to the Twitter handles, since i’ve been following them for a while now.

We livestreamed the conversation, you can see it all here.

Esta semana foi mesmo complicada (outra vez , e ainda vai piorar mas foi para isto que vim para cá). Na Terça passei a tarde a ouvir os planos para o futuro da 4iP, na Quarta o dia foi dedicado ao Hello Digital, e ontem alguns de nós viemos a Londres para um debate sobre ética, na Reuters, intitulado “Notícias a que preço?”. Eu vou escrever sobre isso nos próximos dias.

Pelo meio fui tendo aulas também, e o módulo de Jornalismo Online esta semana foi sobre Mobile Journalism. Tivemos a companhia de Alison Gow, directora executiva digital do Liverpool Daily Post, e Joanna Geary do Times. Foi uma conversa fantástica e também foi bom associar uma cara a uma conta do Twitter, já que as sigo há já algum tempo.

A aula foi emitida em directo , e podem ver tudo aqui.

#HD09 – Hello Digital

Today will be busy, i’ll be attending Hello Digital, the West Midlands media festival, here in Birmingham. Innovation is the keyword, but also creativity and commercial success. Yesterday i heard the 4iP head manager say the West Midlands are “the hottest spot to be in the country”, when it comes to digital media. I believe he’s right.

I expect to write about this later, but you can follow the conference at Millenium Point via livestream. Check the official website or follow the #hd09 tag on Twitter.

Hoje vai ser um dia em cheio, vou assistir ao Hello Digital, o festival de media das West Midlands aqui em Birmingham. A palavra chave é inovação, mas também criatividade e sucesso comercial. Ontem ouvi o director do 4iP dizer que as West Midlands são “o local mais excitante do país” no que diz respeito aos media digitais. Eu acho que ele tem razão.

Espero escrever sobre isto mais tarde, mas podem seguir a conferência no Millenium Point via livestream. Vejam também o site oficial ou seguir a tag #hd09 no Twitter.

The crowd takes over | A multidão assume a responsabilidade

%CODE1%

In Birmingham, a group of people is taking citizenship responsibilities a bit further. When the local City Council presented its new website, they weren’t that thrilled about the functionality and the money the city spent with it: 2,8 million pounds. So they decided to re-create it, using the power of crowdsourcing.

Stef Lewandowski started working in a version using the contents of the original website, and along with other brummies, took in his hands the effort to coordinate this project. The process is open to everyone, as i witnessed last Friday at the Moseley Exchange. Programmers, designers, photographers and common users, they all raised questions and provided solutions for a renewed and more practical website, that met the needs of the Birmingham population. You can check what they have done so far at http://bccdiy.com/.

Instead of just collecting and  presenting their criticism and ask for a change, they are developing something out of their own will, in a matter of days. This raises a lot of questions on how citizens relate to public services in areas they can influence  the function of public institutions, in the digital age.

When their version is done, they will offer it to the Birmingham City Council. The question now is will they take it?

This video shows Stef explaining what is BCC DIY and how it all began. I’ll try to post some more videos about this project in the next days. Meanwhile, i’d like to hear what you think of it, and if you know about any similar projects in the place where you live, or if there is a need for one.

Paul Hartley has a thorough account of what happened during that open Friday at Moseley Exchange.

Em Birmingham, um grupo de pessoas está a levar as responsabilidades da cidadania um pouco mais além. Quando a Assembleia Municipal local apresentou o seu novo site, eles não ficaram muito entusiasmados com a funcionalidade ou o custo: 2,8 milhões de libras. Assim, decidiram recriá-lo, usando o poder do crowdsourcing.

Stef Lewandowski começou a trabalhar numa versão usando os conteúdos da página original, e juntamente com outros conterrâneos, tomou a responsabilidade de coordenar este projecto. O processo é aberto a todos, como pude observar Sexta-feira passada no Moseley Exchange. Programadores, designers, fotógrafos e utilizadores comuns, todos levantaram questões e sugeriram soluções para um site renovado e mais prático que fosse de encontro às necessidades da população de Birmingham. Podem ver o que já fizeram em http://bccdiy.com/.

Em vez de apenas reunir críticas e apresentar o seu descontamento e pedir uma mudança, eles estão a desenvolver algo de sua livre vontade, em alguns dias. Isto levanta muitas questões sobre como os cidadãos se relacionam com os serviços públicos em áreas que eles podem ter influência no funcionamento das instituições, na era digital.

Quando a sua versão estiver terminada, este grupo vai oferecê-la ao Birmingham City Council. A questão é se irão aceitá-la.

Neste video Stef Lewandowski explica o que é o BCC DIY e como tudo começou. Eu vou tentar postar mais alguns videos sobre este projecto nos próximos dias. Mas entretanto gostaria de saber o que vocês pensam sobre isto, e se se conhecem projectos semelhantes onde vivem, ou se há necessidade de um.

Paul Hartley tem um relato exaustivo do que se passou nessa Sexta-feira aberta no Moseley Exchange.

Back online, from Birmingham | De volta, online, e a partir de Birmingham

The gate to a new life | A porta para uma nova vida
The gate to a new life | A porta para uma nova vida

First of all, i’d like to apologize for my silence in these last two weeks, but i recently moved to Birmingham and suffered internet  deprivation until last Friday. After clearing almost 2000 Google Reader items and a couple  hundreds emails, finally i got the time to update you all about what is going on with me.

As most of you should know, i’m here to do the MA Online Journalism, directed by Paul Bradshaw. There is an interesting bunch doing this course, with different experiences and perspectives and a genuine interest about the future of Journalism. After a rather uneventful week, where i was just trying to get accostumed to the city and settling in, we went last Friday morning to an informal meeting called Social Media Cafe, where the social media experts from Birmingham get together for some coffee and networking. I met some interesting people, and i’m going back next time to do a bit of networking myself, and try to find some work, who knows.

Afterwards, we went to participate in another interesting event, a community effort to re-create a better website for the Birmingham City Council, since the official one was unbelievebly expensive and it’s not that good. I’ll talk more about this soon, but i have to say i was amazed to see how people were available to share their knowledge  to build something meant to get right where the public institutions have failed.

This week i’ll be starting the MA. I still don’t believe i’m here, and meeting Paul Bradshaw was great. The man is brilliant and there is a lot to learn from this experience he has managed to provide for all of us at the course. I’ll just have to do my best, and correspond to the expectations. Right now, i have some reading to do, lots of it. Wish me luck.

Antes de mais, quero pedir desculpa pelo meu silêncio nas últimas duas semanas, mas mudei-me recentemente para Birmingham e estive sem internet até Sexta. Depois de ter limpo cerca de 2000 itens do meu Google Reader e algumas centenas de emails, finalmente tenho tempo de vos pôr a par do que se passa comigo.

Como a maioria deve saber, estou aqui para fazer o Mestrado em Jornalismo Online, dirigido pelo Paul Bradshaw. Somos um grupo interessante neste curso, com experiências e perspectivas diferentes, e um genuíno interesse no futuro do Jornalismo. Depois de uma semana sem grande história, onde estive só a ver se me instalava e me habituava à cidade, fomos Sexta de manhã a um encontro informal chamado Social Media Cafe, onde os especialistas é media sociais  de Birmingham se juntam para café e  alguma conversa. Conheci pessoas muito interessantes, e vou voltar para a próxima para fazer mais conhecimentos, e tentar arranjar trabalho, quem sabe.

Depois, fomos a outro evento interessante, um esforço comunitário para recriar um website melhor para o Birmingham City Council, já que o oficial foi incrivelmente caro, e não é grande coisa. Eu irei falar disto em breve, mas tenho que dizer que fiquei impressionado ao ver como as pessoas estavam dispostas em partilhar os seus conhecimentos e construir algo que emendasse o que as instituições públicas não conseguiram fazer certo.

Esta semana começo as aulas. Ainda não acredito que estou aqui, e conhecer o Paul Bradshaw foi impecável. O homem é brilhante e temos muito a retirar desta experiêmcia que ele nos proporcionou com este curso. Vou ter apenas que dar o meu melhor e tentar corresponder às expectativas. Para já, tenho alguns livros para ler, muitos mesmo. Desejem-me sorte.