Category Archives: social media

Audioslideshow: 15 September demonstration @ Coimbra

Hundreds of thousand gathered in protest against the austerity measures imposed by the Portuguese government throughout the country. I was in Coimbra and with the help of Nuno Mendes captured the 20.000 that took the streets in the biggest demonstration since the 1974 revolution, an event that was spawned by social networks.

O “Golpe de Estado” esta noite em Portugal foi só no Twitter #prayforportugal

%CODE1%

Não há coisa pior que acordar de má vontade e de repente perceberes que as redes estão a fervilhar com alguma coisa que se passou durante a noite. Na minha timeline muita gente perguntava o que era a tag #prayforportugal, e tive que ir descobrir o que era.

Clicando na tag pude ver que os autores de tão generoso movimento eram espanhóis, logo tinha que desconfiar. Recuando um pouco no tempo percebi que falavam de um golpe de estado que tinha ocorrido durante a noite em Portugal. Ora, no Bom Dia Portugal da RTP, que estava a ver na altura, não diziam nada sobre o assunto, como seria natural em caso de estarem a inventar revoluções pela net.

Neste post explicam bem o que se passou, e tudo partiu de uma fotomontagem a simular um tweet do El País. Porque é que se gasta tempo e perícia nestas coisas não percebo, mas ainda me lembro do rumor nos mercados internacionais de um golpe de estado por cá ainda o Durão Barroso era primeiro ministro. Na China era tudo preso, mas felizmente não somos a China. Ainda.

Eu acho que é tudo inveja, mas não se deve começar o dia com uma mentira destas. A desilusão pode dar-nos cabo do dia. Nuestros hermanos, no Europeu hablamos, ok?

UPDATE: estou a ver alguns portugueses a inventar situações nas suas timelines para alinhar na brincadeira, como: “snipers estão a matar pessoas a partir do telhados do Porto” e que há combates nas ruas. Não brinquem, isto é tudo uma questão de percepção e já somos muito mal vistos por quem não nos conhece.

UPDATE 2: o Público apresenta outra versão e provavelmente estão mais certos que eu, porque têm meios para isso (e pagam-lhes). Agora  gostava de saber quem foi a inteligência na AP que se lembrou desta. Não confundam assaltos a multibancos com guerras civis.

UPDATE 3 (Com a ajuda do Luís Galrão): O Expresso alinha pela minha primeira versão e o Público mudou a versão inicial. (vejam os comentários abaixo). Acontece.

Jornalismo e Sociedade: Entrevista a Adelino Gomes – “O jornalismo é um privilégio e uma responsabilidade”

Esta terça feira fui a Coimbra assistir ao Fórum Jornalismo e Sociedade, um evento itinerante nascido do projecto com o mesmo nome e que procura descobrir como se faz jornalismo em Portugal e qual o seu futuro.

Num auditório repleto de estudantes de comunicação, discutiu-se muito sobre as condições em que o jornalismo português é feito, e fiquei surpreendido com algumas das questões levantadas, que só provaram que há muita gente ainda longe da realidade do que deve ser feito para se ter um jornalismo viável, de qualidade e de acordo com as necessidades dos públicos actuais. Mas sobre isso falarei mais tarde.

No final do debate, entrevistei Adelino Gomes, um dos responsáveis deste projecto, que me explicou quais são os objectivos e a sua opinião sobre o que é – ou o que deve ser – a profissão de jornalista. Gostei tanto que quase não fiz cortes nenhuns. A reter:

O jornalismo é um privilégio e uma responsabilidade.

Visitem a  página oficial do Jornalismo e Sociedade.